vermelho.

Vende-se seu sonho de infância. Vermelho, sempre novo vermelho. E nesta trilha que andam sozinhos Kieslowski e Almodovar, lado a lado sob chuva e no mesmo ritmo do cotidiano. Eles fogem da dor, mas a dor sempre encontra eles na dobra da esquina de qualquer avenida. Eles estão alheios a todo esse movimento, mas o vermelho sempre é um novo vermelho. O vermelho está lá.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s