Dark paradise.

Por que toda vez que eu estou acreditando, eu desacredito. Seus olhos me levam para um lugar que eu nunca estive antes. E lá é frio, quando você me deixa sozinha para interpretar os seus sonhos mais obscuros, eu sinto medo.

Há um pequeno espaço para mim, é naquele quadro que você reservou um espaço para me lembrar de que um dia nós chegamos a ser um casal. E as suas definições sempre tão mais fortes do que os meus princípios. Queria ter sido mais simples, mas parece que eu compliquei tudo nessa história. O quarto está escuro. Eu sinto o seu cheiro, você continua me observando.

Você arranca de mim o monstro que eu tanto guardei. Eu observo todas as nossas cenas dançando juntas no quarto escuro. Exatamente como nos conhecemos, eu oferecendo cigarros para você, e o seu maior erro, foi aceitar. Era como se estivesse me falando “sim, entre na minha vida”.

Gosto de lembrar como esse quarto escuro já foi tão familiar. Gosto de estar em cima de você e de receber toda a sua energia selvagem quando você coloca a sua mão por dentro da minha calça. Quebramos todos os conceitos. Nossas curvas, tudo o que eu consigo enxergar, são elas, se encaixando como algo além de nossas verdades, como algo intuitivo que nossa respiração ofega.

Aquelas luzes, é o mundo respondendo ao nosso encontro. Eu consigo sentir as pontas dos seus dedos me tocando. Em resposta, meu corpo, anseia por mais você. Até que eu perco o controle e jogo a minha moral, minhas definições, proteções todas debaixo da cama.

Quando eu acordar, elas vão estar me esperando. Todo dia eu divido a mesa com as minhas fraquezas. As minhas fugas são necessárias, meu espaço sem você, simplesmente porque você fez nascer em mim aquela que ultrapassou o vazio. Depois do vazio, eu sinto a dor. Isso me assusta.

A dor de quem não sabe a definições das cores. Espero não ter sido clara essa noite. Queria deixar nas minhas entrelinhas o charme necessário para fazer com que você não desista de mim, porque mesmo eu me afogando em toda essa história, eu sempre nado em direção a você.

E sou eu, que devo estar sendo julgada nessa história. Não me importo em ser esse negócio estranho na sua vida, mas não quero ser vista todo tempo como um monstro que comeu todas as possibilidades de um dia nos encontrarmos novamente. Eu sinto você.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s