Carne trêmula.

Ali estava escuro demais para enxergar qualquer coisa. Mas ele sentia o sangue no peito, sua umidade quente. O céu lá em cima ainda estava visível como uma massa cinza reluzente, mas as copas das árvores formavam um emaranhado negro, galões de folhas negras. Devia haver uma trilha em algum lugar, lugares como esse sempre eram atravessados por centenas de trilhas. Não estava realmente no interior, aquilo era mais um parque, não muito mais selvagem do que Hampstead Heath.

Carne trêmula, Ruth Rendell

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s